Um jeito otimista e  contagiante de ser
04 Mai 2021

Com quase 35 anos de casa, Rosy Inês Wegener Alves, é uma profissional dinâmica, que realiza suas atividades com muita dedicação. Com alegria e otimismo, ela prima pelo trabalho em equipe, está sempre disposta a aprender e pronta para auxiliar os colegas em suas tarefas. Sua trajetória na Van Ass Sementes e sua história de superação pessoal é sinônimo de inspiração.

Nome completo: Rosy Inês Wegener Alves

Idade: 54 anos

Início na Van Ass Sementes: Iniciei em 1º de novembro de 1986, como auxiliar de escritório.

Atividades desempenhadas: Realizava atendimento ao público, atendia telefone, fazia serviços bancários e arquivava documentos.

Atividade atual: Sou Coordenadora Administrativa, auxiliando o Departamento Pessoal e o Setor Financeiro.

A Van Ass: Minha grande família, minha segunda casa. Quando falo da Van Ass, meus olhos brilham e meu peito se enche de orgulho por fazer parte desta empresa, onde somos reconhecidos e valorizados como seres humanos. A Van Ass sempre se preocupou em investir em seus colaboradores com cursos e palestras profissionalizantes.

Fato marcante na empresa: A perda do nosso líder nato, o sócio da empresa Leonardus Petrus Hermanus Van Ass.

Realização profissional: O Alexandre Van Ass, Diretor Administrativo, me convidou para assistir o encerramento do curso do Dale Carnegie que ele estava fazendo na cidade de Ijuí. Eu achei o máximo. A adrenalina foi a mil. Para minha surpresa, na volta, ele me disse que gostaria que eu fizesse esse curso. Não dormi nada a noite toda, pensando no curso. Outro fato que me marcou foi quando a Receita Federal veio fazer auditoria na empresa, todos muito sérios, pedindo documentações. Quando terminaram chamaram o Sr. Hermanus e o Sr. Leonardus para uma reunião final. A fiscal elogiou muito nossa organização, ressaltando que tínhamos atendido muito rápido as informações solicitadas. Ser elogiada por uma fiscal encheu meu peito de orgulho.

Fato marcante na vida pessoal: Primeiro eu venci as dificuldades quando toda a minha família foi morar no Maranhão. Meu casamento, o nascimento dos meus filhos Vinicius e Nathália foram momentos muito felizes. Senti muito pela morte do meu irmão, da minha cunhada, da minha mãe e do meu pai. Me comovi com o acidente sofrido pelo meu esposo, que aos 49 anos ficou paraplégico. Olho para trás e vejo que venci todas essas dificuldades com meu espírito positivo, sempre pensando no que poderia ter sido pior. Reflito sobre todas essas situações para crescer e ser uma pessoa melhor.

Os colegas: Na vida, não chegamos a lugar nenhum sozinhos, precisamos uns dos outros. Quando trabalhamos com o espírito de equipe crescemos como profissionais e seres humanos. Me orgulho muito quando ouço o depoimento de várias meninas que começaram sua vida profissional aqui, dizerem que aprenderam muita coisa comigo e que levam esses ensinamentos hoje. Sempre ensinei que devemos aproveitar o máximo para aprender tudo, como “sugar uma laranja até o bagaço”.

A família: É o nosso esteio. Um apoia o outro, nunca abandona ninguém, seja qual for a situação. São pessoas que realmente podemos contar em qualquer momento da vida. É o amor verdadeiro.

Um sonho: Estou chegando lá. Ver meus filhos formados, serem pessoas de caráter, idôneas, realizadas e, principalmente, felizes.

Mensagem: Aconteça o que acontecer em sua vida, nunca deixe a peteca cair. Lembre-se que o tempo é o melhor remédio para tudo na vida. Costumo usar o exemplo do funil: sempre olhe do lado menor para ver o quanto a vida tem para oferecer, quantas oportunidades estão a nossa volta.